PPRA – Nr 9

um simbolo de segurança do trabalho escrito "a importancia do ppra"

NR 9 – O que dizem as normas regulamentadoras acerca dos riscos ambientais?

Numa primeira olhada podemos pensar que a NR 9 diz respeito apenas sobre o meio ambiente, aquilo que entendemos como a natureza e espaços que não foram tocados pelo homem, mas também fala sobre os perigos aos quais estão sujeitos os empregados dentro do ambiente de trabalho e como devem ser os cuidados para manter sua integridade física, no texto oficial temos seu objetivo bem claro.
Esta Norma Regulamentadora – NR estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, visando à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.

Riscos considerados

A norma também elucida qual deve ser o foco da PPRA, e o que deve ser considerado como risco a saúde do empregado:

– Consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos ambientes de trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde do trabalhador;

– Consideram-se agentes físicos as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes, radiações não ionizantes, bem como o infra-som e o ultra-som;

– Consideram-se agentes químicos as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão;

– Consideram-se agentes biológicos as bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros.
O PPRA deve seguir também uma lista de estruturação para ser plenamente implementado, precisa passar por um planejamento com metas e objetivos; estratégia e plano de ação; divulgação de dados, manutenção e forma de registro e forma de avaliação do PPRA. Essas regras devem ser seguidas e postas em pratica de maneira tal que possam ser verificadas ao menos uma vez ao ano, lembrando que essa vistoria anual é obrigatória, ou quando se fizer necessária para manutenção ou adição de novas metas e prioridades. O documento que descreve as metas e objetivos do PPRA deve ser sempre atualizado e enviado as autoridades competentes.

Estruturação do PPRA – NR 9

É parte da estruturação do PPRA as seguintes etapas:
– Antecipação e reconhecimento dos riscos;
– Estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle;
– Avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores;
– Implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia;
– Monitoramento da exposição aos riscos;
– Registro e divulgação dos dados.

É de responsabilidade especifica do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho – SESMT ou pessoas capazes de verificar aplicar e acompanhar esta NR, a critério do empregador, de manter todos os itens da lista acima checados; a NR 9 procura manter o ambiente de trabalho o mais seguro possível e apresenta meio de fazê-lo por meio do PPRA, aqui demos alguns itens para entender seu papel e quais são os riscos que ele pode ajudar a prevenir.

Clique aqui para entender mais sobre as Normas Regulamentadoras ( Nr’s )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *