Segurança do Trabalho

falta de segurança do trabalho

O que é segurança do trabalho?

Muitas pessoas já ouviram falar em Segurança do trabalho, mas conhece pouco sobre esse tema. Segurança do trabalho necessariamente pode ser visto como um conjunto de ações que tem como objetivo diminuir os acidentes de trabalho, visando proteger a saúde e integridade física do trabalhador no seu ambiente de trabalho.  

A segurança do trabalho, com o seu objetivo posto em prática, tem várias áreas em que pode ser aplicada, dentro das atividades de uma só empresa.

Dessa maneira, é desenvolvido técnicas para melhor especializar, tanto aquele que irá oferecer o seu serviço,  quanto aquele trabalhador que se beneficiará com a proteção oferecida.

Dentro da vasta área em que pode ser desenvolvida, faz-se ações técnicas, ações  médicas e administrativas, pois assim, as ações podem ser estudadas para melhor prática do serviço ofertado. as ações técnicas estão presentes também:

O estudo do ambiente de trabalho, o que causa os acidentes de trabalho, treinamentos, palestras, dentre outras ações.

Trabalhar com prevenção, esse é o lema de quem atua na segurança do trabalho. Tendo como objetivo, estudar dados estatísticos sobre acidente e doenças com a pretensão de diminuir e prevenir possíveis acidentes, é o que faz uma pessoa que trabalha na área de segurança do trabalho.

 A segurança do trabalho tem como ponto principal: redução de acidentes dentro do ambiente de trabalho, promoção da saúde ocupacional e redução de possíveis incêndios.

Pautado nesses três princípios que a segurança do trabalho se faz presente garantimos a vida, o ambiente saudável para o trabalhador e patrimônio.

História da Segurança do Trabalho

A trajetória da segurança do trabalho, assim como grande parte das coisas que conhecemos hoje, data dos antigos gregos.

Alguns dizem que a primeira análise acerca da saúde dos trabalhadores foi feita por Hipócrates, considerado o pai da medicina, (460 – 375 a.C.) acerca do envenenamento por chumbo.

Depois dessa análise temos Aristóteles (384-322 a.C.) a se preocupar com as condições de trabalho em sua época, num escrito onde pesquisa sobre a saúde dos mineiros e de que maneira eles poderiam evitar as doenças que os afligia, não é de se espantar uma vez que Aristóteles era filho de médico e buscava em sua filosofia o bem viver.

Após essas duas análises nos tempos antigos temos uma retomada deste assunto com os medievais. No Séc. I, Plinio, o velho e Galeno falando do envenenamento de mineiros por zinco e vapores ácidos e enxofre.

A próxima análise acerca da saúde dos trabalhadores aparece mil anos depois, 1473 na Alemanha, Ulrich Ellenbog escreve sobre a doença dos ourives (ourivesaria é a atividade de trabalhar com metais preciosos para criar ornamentos e jóias) que o afligia por conta de seu trabalho.

Não demorou muito e cada vez mais trabalhos começaram a ser publicados sobre a saúde dos trabalhadores.

Vamos algumas ideias para dar foco naquela que  marca de fato algum tipo de metodologia para melhoria das condições de trabalho, Bernardino Ramazzini (1633-1714) é o autor do tratado de doenças relacionadas ao trabalho, De Morbis Artificum Diatriba (Doenças do Trabalho), reconhecido também por alguns como o pai da segurança do trabalho, além de ter dado importantes contribuições para a medicina como um todo.

Responsabilidades da Segurança do trabalho

Após essa obra as análises começam a surgir em toda parte, 1775 na primeira revolução industrial, o cirurgião inglês Percival Pott (1714-1788) relaciona o câncer dos limpadores de chaminé com sua atividade laboral e é um dos primeiros a fazer essa relação entre os produtos químicos tóxicos e o câncer.

Em 1801, Thomas Beddoe (1721-1860) professor de medicina e pesquisador acerca da tuberculose e seus tratamentos, escreve sobre as condições de higiene nos ambientes de trabalho ingleses. Um ano depois dessa publicação, em 1802, que na Inglaterra são instituídas leis de jornada máxima de doze horas, aqui o trabalho e o trabalhador recebem uma perspectiva política também além da médica.

Em 1831, também na Inglaterra temos o médico Charles Thackrah (1795-1833) que descreve doenças relacionadas ao trabalho em geral. Em 1833 a Lei da Fábrica é instaurada na Inglaterra, nela foram criadas regras acerca do trabalho e de como ele deveria ser desempenhado.

Deste ponto em diante o estado passou a tomar ações para melhor atender as demandas de saúde dos trabalhadores, em 1862 na França é regulamentada a segurança e higiene do trabalho. Em 1865, na Alemanha é aprovada a lei de indenização que obrigava os patrões a pagar seus empregados caso sofressem algum acidente na área de trabalho. Em 1867, Karl Marx denuncia horas excessivas de trabalho e o trabalho infantil.

Órgãos Trabalhistas  

No continente americano temos alguns movimentos dos trabalhadores, mas vamos nos ater ao nosso país. Somente em 1891 teremos notícia de alguma legislação que trata da segurança do trabalho, que proibia o trabalho de menores de idade.

Entre os anos de 1907 até 1920 temos diversas greves em solo brasileiro e em 1919 temos o decreto que regula as obrigações dos acidentes de trabalho, no mesmo ano é criada a OIT (Organização Internacional dos Trabalhadores). Em 1930 é criado o Ministério do Trabalho, quatro anos depois surge a Inspetoria de higiene e segurança do trabalho. A CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) é apresentada então na forma de decreto-lei de número 5.452 de 1943.

Nascimento da CIPA E NR’s

Dessas iniciativas  em diante o Estado Brasileiro não parou mais de aprovar medidas voltadas para área. Em 1953 temos a regulamentação da CIPA, e em 1960 a regulamentação dos EPI, 1972 marca a regulamentação das profissões acerca da saúde e segurança do trabalho. Em 1978 são introduzidas as NR (normas regulamentadoras), em 85 é oficializada a especialização em engenharia do trabalho e em técnico de segurança do trabalho, e em 1990 é a NR 4 é reformada tendo sua formação contemplando todos os profissionais envolvidos na segurança do trabalho.

Assim como muitas áreas de nossa sociedade, a segurança do trabalho tem uma extensa história que ainda é escrita diariamente por todos os trabalhadores e profissionais que compõe o SESMT. Apesar de ser um pouco tardia a segurança do trabalho chega ao Brasil e logo se desenvolve como importante área para melhor atender os trabalhadores e empregadores com a missão de evitar o pior.  

Caso queira saber mais sobre as NR’s e trabalhos gerados da Segurança faça sua busca Clicando Aqui –

Não se esqueça que a principal função da segurança do Trabalho é prevenir os acidentes na área do trabalhador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *